Blog Blog

Dia do autismo

Há 11 meses

Dia do autismo

Em 2018, após uma reportagem na TV me surpreendi com uma descoberta que mudaria a vida da minha família: Meu filho estava no espectro do autismo.

Nesse momento, a palavra autismo, começou a fazer sentido pra mim. Comecei a associar todos aqueles comportamento que ele vinha apresentando, bem “diferentes” dos seus amiguinhos. O Hugo, com 2 anos não falava e nem se comunicava (Na verdade, ele tinha aprendido duas palavrinhas, bem mais novo, mas logo perdeu essa “fala”. Perder algo, que já havia conquistado, é um grande sinal de alerta!). Ele não olhava quando chamávamos, por vezes nós pensamos que ele realmente não nos ouvia. Andava na ponta dos pés, não gostava de colo, era um bebe muito “independente”. Ele também não sabia dar tchau, mandar beijo, mostrar algo, nem apontar. Não sabia sorrir quando pedido para um foto e também não tinha muitas expressões faciais. Ele tinha muitas dificuldades que eu justificava com aquelas frases “cada um tem seu tempo”, “isso deve ser sono”, “o pai dele falou tarde”, “meninos tem preguiça de falar”. Tudo balela ta? Devemos sim respeitar o tempo das crianças pois são únicas porém sempre que seu filho não acompanhar minimamente os pares da mesma idade, quando não tiver fazendo o que é esperado, essa é a hora de buscar um especialista.

Porém o que me chamava mais atenção é que ele não brincava. Não adiantava o brinquedo mais colorido, mais bonito, mais divertido, seu objetivo era sempre o de enfileirar as peças ou brincar com itens mais incomuns possíveis como pregador, cápsulas de café, papeis picados. Eu, sinceramente (essa pode ser sua ideia também sobre seu filho) achava que crianças nasciam sabendo brincar. Eu acreditava que elas aprendiam ali, sozinhas. Engano meu! Essas interações mãe e filho, cuidador-bebe são tão importantes e não devem ser desprezadas. Mas como era difícil interagir com ele, por vezes eu não tentava, desistia. “Ele tem um gênio forte!” Dizia para acreditar que tava tudo bem.

Mas crianças aprendem brincando e não estava tudo bem! Uma criança que não brinca, não olha o outro, não entende o que acontece ao seu redor, não se desenvolve. Através do brincar que nossos filhos experimentam o mundo que observam, a sua maneira, traduzindo nas suas ações do jogo. Ali desenvolvem vocabulário, comportamentos, se divertem e criam seu mundo. Mas o Hugo não conseguia… só que eu também não desisti!

Comecei a entender que não importa se ele tinha muitos brinquedos mas a interação, estar ali frente a frente, valorizando tudo que ele pudesse criar. Nesse inicio, os jogo de ação-reação como (casinha) onde você joga uma bolinha e ela roda, roda e cai la embaixo é um ótima pedida! A criança, que nessa fase, quando ainda não sabe a funcionalidade dos jogos, vai buscar explorar e quando fazemos uma ação e temos a resposta imediata após, que seria a bolinha chegar la embaixo é super recompensador. Repita, repita! Com o pode usar uma referencia de brinquedos de encaixe, entregue as peças e mostre o lugar certo para o encaixe. A intenção não é que a criança erre, ou se frustre por não conseguir mas que ela se divirta e entenda a função do brinquedo.

Activity House, Tateti
Activity House, Tateti

O bate-bate mostra para o seu filho que as atividades podem ser muito recompensadoras. Com uma única ação seu filho consegue a recompensa, que seria a bolinha cair. É rápido e divertido, dando a chance de que ele pratique varias vezes estimulando também a motricidade fina com o martelo. Teste você com ele: frente a frente, troquem turnos e brinquem juntos!

Bate-Bate, Tateti
Bate-Bate, Tateti

A partir do momento que seu filho entende que martelo é para bater, a bolinha rola, ele entende a função dos brinquedos, ampliando ainda mais as possibilidades de jogo.

Brinquedos de comidinha pode usar sua referencia para alimentar um boneco favorito vão ensinar cada vez mais a função dos alimentos e esse momento das refeições trazendo mais repertório de palavras e ações. A partir dai podem criar historias, passando para o jogo simbólico e o faz de conta, quando os pequenos vivem as experiências do mundo do adulto, criando sua própria realidade.

Kit de frutas e verduras
Kit de frutas e verduras

Evite a todo custo brinquedos eletrônicos, com sons e pilhas. Se precisa de música, cante! As interações são muito mais importantes nessa fase, e seu filho também tem a chance de começar a praticar os primeiros sons através da diversão. Ah, e sempre que tiver muitas peças recolha algumas, para não deixar sua criança tão ansiosa. Prefira entregar uma por vez ou deixe que ele perceba que não tem outras e peça ajuda para completar.

Foi esse o caminho que ajudou o meu filho. Tudo que o Hugo aprendeu, que sabe hoje foi através da brincadeira e do brinquedo. Reforçamos o nosso laço e temos memórias incríveis. Ele conquistou muitas etapas do seu desenvolvimento em um simples jogo de boliche, ou em uma tarde no nosso restaurante imaginário.

Criança autista aprende, se desenvolve e o brincar é o caminho por onde você vai passar para apoiar seu filho. Brincar transforma vidas, dê essa oportunidade para sua criança! Seja presente no seu desenvolvimento e aproveite muito a primeira infância para estimular, ensinar e aprender com seu filho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *